14/02/2013 - 14h34 - Atualizado em 14/02/2013 - 14h49

Para ela, um tombo significa: "Vontade de acelerar cada vez mais"

Essas são palavras da piloto Gauchinha, uma talentosa menina do Rio Grande do Sul.

Zuun,motorcycles

Uma pequena que se torna gigante quando está na pista de Motocross. Um sorriso sempre estampado no rosto, uma humildade sincera e uma convicção fora do normal. Esses são alguns dos atributos da “Gauchinha”, ou melhor, da Mayrêe Ribeiro, de apenas 14 anos de idade. A menina, compete de igual para igual com os pilotos do Rio Grande do Sul, tem o total apoio do dedicado pai e fé é uma palavra que faz parte do vocabulário de ambos.

Conheça a história dessa piloto que, além de talento, possui um ousado, mas nem por isso impossível, sonho; e leia também as palavras de Gilberto Ribeiro, um pai orgulhoso, que a acompanha onde for necessário.

Mayrêe é dona de um belo e simpático sorriso. Foto: Zuun,motorcycles

Zuun,motorcycles – Quando e como iniciou essa vontade de competir?

Mayrêe Ribeiro – Tudo começou no ano de 2007, quando eu tinha apenas oito anos de idade. Um menino da minha cidade (São Jerônimo, interior do RS), chamado Gabriel, corria de moto e eu me encantei pelo esporte, gostei tanto que pedi ao meu pai para ter uma também e, assim, competir! Ele aceitou, e foi aí que descobri algo que ele nunca havia me contado: meu pai possuía uma moto, andava de Motocross e acreditava que eu nunca me interessaria pelo esporte, devido ao fato de ser menina.

Gilberto Ribeiro – Na realidade, minha filha não morava comigo e sim com a mãe dela. Achava que seu talento era cantar, possuía uma banda, onde era vocalista e tecladista. Até então, com cinco anos de idade, acreditava que o seu futuro era ser cantora. Porém, quando ela viu pela primeira vez esse menino correndo, ela me disse: “Pai, se ‘tu’ me der uma moto eu vou lá e ‘dou um pau naquele guri lá’ (sic)”. Foi nesse momento que começou o gosto pelas duas rodas. Ela não sabia do meu envolvimento com o Motocross, essa vontade surgiu da cabeça dela mesmo. Trocou os palcos pelas pistas, nunca mais cantou, seu teclado está atirado em casa e “Motocross, Motocross e Motocross” (risos) é a única coisa que ouço hoje em dia, vindo dela.

Gauchinha cresce nas pistas, deixando os 14 anos de lado. Foto: Zuun,motorcycles

Zuun – Da onde veio o apelido “Gauchinha”?

Gilberto – Teve uma época que ela foi morar com os avós, e eles gostavam muito de vê-la andando a cavalo, e para fazer isso a pilchavam*. Por isso, acabaram apelidando a Mayrêe de Gauchinha, que até se apresentava com esse apelido quando fazia shows da sua banda.

*Pilchar significa vestir-se com as roupas tradicionais do Rio Grande do Sul.

Zuun – Corre junto com os homens, o que isso traz de bom para você? Há algum ponto negativo nisso?

Gauchinha – É muito bom, desde pequena corro com eles, sempre ganho muita experiência, ainda mais que os pilotos não pegam mais leve por eu ser menina, muito pelo contrário, competimos todos de igual para igual. Na realidade, não tem nada de negativo nisso, a única coisa é que existe aquela frase de vez em quando “não vou perder dela, porque ela é menina”, mas não dou bola (risos).

Não importa o adversário, ela é competitiva e talentosa. Foto: Zuun,motorcycles

Zuun – O que você acha que falta para ter mais mulheres competindo?

Gauchinha – Acho que falta interesse por parte delas, porque geralmente não tem como correr em uma categoria feminina pela falta de mulheres, já que não vão às corridas. Acredito que deveriam ir, pois não queremos somente homens competindo com nós. Falta coragem também. Você se acha corajosa? - Por correr com eles, sim.

Zuun – Quais as dificuldades que você encontra em pista?

Gauchinha – Como a moto é bem maior do que eu, e faz pouco tempo que estou com ela, tenho dificuldade de fazer as curvas. Mas dou o meu melhor para tentar mudar isso, faço tudo o que estiver ao meu alcance e o que conseguir. Quando caio, eu tenho vontade de acelerar cada vez mais, pois fico brava com os tombos.

Gilberto – Este ano eu não exijo nada da minha filha, porque ela está recém começando nessa moto 250 cc que possui 4T, que é muito mais agressiva e difícil de andar, sendo que ela está acostumada a competir com uma 2T. Então, 2013 é aprendizagem, o que vier, vem bem.

Mayrêe sempre quer chegar no mais alto do pódio. Foto: Zuun,motorcycles

Zuun – Em vários momentos eu vejo vocês lidando com religião nas pistas, qual o significado disso para vocês?

Gilberto – É bem curioso... Eu tive uma visão, antes mesmo da minha filha entrar nesse mundo off-road. Ela estava ganhando uma corrida de Motocross e, na moto, havia uma bandeirinha branca com o nome de Jesus escrito. Ao ver isso, pedi a Deus, se fosse da vontade Dele, que eu visse novamente. Passou uma semana e meu pedido aconteceu. Então, prometi a Ele, que toda vez que a Mayrêe vencesse, ela ergueria a bandeirinha na chegada.

Zuun – Gauchinha, aonde você pretende chegar um dia?

Convicta, ela respondeu: Eu quero ser campeã mundial.

Zuun – Grande pretensão! O que falta para realizar esse sonho?

Gauchinha – Treinos, bastante treinos! Já que erro muito nas curvas, preciso melhorar isso.

Zuun – Em qual piloto você se espelha para andar nas pistas?

Para responder a pergunta, ela foi objetiva: Me espelho no Duda Parise!*.

*Piloto gaúcho de Motocross, das categorias MX1, MX2 e MX3.

Guerreira, persistente e sonhadora, esta é a Gauchinha. Foto: Zuun,motorcycles

Zuun – Sabemos que o Motocross não é um esporte barato, o que vocês fazem para bancar esse projeto de ela ser campeã mundial? É isso que o senhor também quer para a carreira dela?

Gilberto – Começo pela fé, acredito muito na frase: “A fé move montanhas”. Se Deus deu o mundo todo para muitos atletas que hoje tem um nome forte, Ele pode dar para a minha filha também, acho que daqui a pouco tempo nós vamos sim conquistar o mundo, se for da vontade Dele.

Ela já tem patrocínios bons. E nos é bastante oferecido, mas queremos nomes fortes, às vezes abrimos mãos de alguns por esse motivo. Acredito que a estrela da Mayrêe é muito forte, ela tem muita vontade de vencer, possui uma alegria enorme quando está competindo e adora ajudar aos outros, baseado nisso e na nossa fé, acredito que vamos conseguir chegar ao nosso objetivo.

Zuun – Quais os campeonatos que você vai correr neste ano?

Gauchinha - Pretendo correr o Brasileiro de Motocross, se alguma etapa for perto do Rio Grande do Sul; tentarei ser vice-campeã do Gaúcho; continuarei a Copa Verão, da qual já ganhei duas etapas e tentar ganhar mais uma vez, tanto a Copa Gramado quanto a Copa Verão Sobre Rodas.

Zuun – Vocês tem pretensão de ir para a vitrine do Motocross brasileiro, que é o Arena Cross?

Gilberto – Infelizmente para entrar nesse campeonato é necessário convite, que ainda não chegou para nós. Se chegar, com certeza iremos!

Não tão somente pai e filha como também amigos, confidentes e batalhadores. Foto: Zuun,motorcycles

Gauchinha corre nas categorias Estreante, Estreante Importada, MX3 e Feminina. Possui 4º lugar no Campeonato Gaúcho, é tricampeã da Copa Gramado, bicampeã do Circuito Serrano de Motocross, campeã da Copa Verão Sobre Rodas e 6º lugar no Brasileiro. Já teve um dos pulsos quebrado, mas nem por isso desistiu.

Seu pai, Gilberto Ribeiro, tem 56 anos, correu de Motocross, mas nunca conquistou algum título. Trabalha em uma usina, mas... “Assim que a minha filha começar a andar pelo mundo, largarei tudo e irei com ela. Ela é a minha vida, minha paixão, o meu amor”, disse ele, emocionando a todos ao final da entrevista.

Comentários,

Comentar matéria
  • Juliana Momberger
    15/02/2013 - 12h24

    Parabéns, Gauchinha! És talentosíssima!

  • Gauchinha Motocross
    20/11/2013 - 18h04

    Quero agradecer a ZUUN pela oportunidade de expor nossas metas... nossos sonhos... nossos objetivos... A vida é uma só... as oportunidades não batem na porta duas vezes e nada é por acaso... E se Deus nos deu esta missão... Então vamos até o fim...

  • Luciano Sampaio
    15/02/2013 - 09h01

    Parabéns Maay! E tenho certeza que tu sempre vai alcançar teus sonhos! Tudo de bom e boa sorte na etapa deste fim de semana em Torres - RS! Saiba que estou ai pra tudo que precisar!

  • Natália Luisa Zwetsch
    15/02/2013 - 09h01

    Muita determinação! Parabéns, Gauchinha... Sucesso nas suas escolhas!

  • Gabriel Dias
    15/02/2013 - 09h01

    Essa guria é fera!!! Sucesso e muitas conquistas!

Mais comentários